Grupo paulistano traz reflexões sobre os relacionamentos em faixa do EP Maré

 

Se 2017 foi o ano lírico para o Rap nacional, Luz Apache puxa a fila para mostrar que 2018 promete elevar ainda mais o nível das produções musicais e audiovisuais da cena. Abrindo os trabalhos para o EP Maré, que estará nas ruas no início de 2018, o grupo independente lança nesta sexta-feira, 8 de dezembro, o videoclipe do single que dá nome ao projeto.

 

Com outros diversos lançamentos vistos pela nossa equipe, o grupo Luz Apache mostra grande desenvolvimento e com certeza é uma promessa no Rap nacional e conta com uma grande produção musical e audiovisual.

Em uma faixa que mistura influências clássicas das love songs e a sonoridade e atitude do hip-hop atual, os mc’s e produtores Caio Paiva e João Catan traçam um paralelo entre os relacionamentos interpessoais e os movimentos cíclicos do oceano que ditam o ritmo que encaramos a rotina e o convívio com as pessoas que amamos.

“Essa Maré não é necessariamente um relacionamento amoroso, mas é como duas ou mais pessoas decidem trilhar o caminho das relações entre si. A energia que empregam naquilo e a direção que querem seguir”, explica João Catan.

Além da comparação entre os movimentos do mar e os vínculos criados a partir da vida em sociedade, o tema e a identidade visual do videoclipe foram escolhidos para ilustrar a nova fase do grupo. Usando a simbologia da maré e do movimento constante das águas, o Luz Apache se reinventa nesse novo projeto retratando a evolução musical de seus integrantes e apresentando uma direção artística que vai além dos estereótipos do hip-hop.

Com o olhar plástico e impactante do fotógrafo Ale Catan na direção, o videoclipe nos leva para um verdadeiro mergulho pela musicalidade dos artistas e pela experiência visual que mistura elementos aquáticos e componentes clássicos e surpreendentes.

Sobre o Luz Apache

 

Desde 2014 em atividade na capital paulista, Luz Apache é formado atualmente pelos mc’s e produtores João Catan e Caio Paiva. Além de compor e interpretar as canções, eles são os responsáveis por todo o processo de produção musical, mostrando versatilidade e comprometimento com cada etapa do projeto. Maré é o terceiro trabalho do grupo que já conta com os EPs Mais Luz e Luz na Levada, com participações de Amanajé Sound System e Marina Peralta.

InstagramFacebook

 

 

Confira algumas perguntas e respostas do grupo:

Qual foi a inspiração para criar a música Maré?

João Catan: Eu e o Paiva produzimos a base de Maré (que até então não tinha nome), e essa base me chamou muito a atenção. Conseguia perceber uma elegância na composição, e ao mesmo tempo sentir uma pancada batendo nas caixas. Encontramos a sonoridade que estávamos buscando.

Em um dia muito especial, fui de madrugada pro estúdio, liguei o microfone e ouvi aquela base linda. Estava tão impactado com a profundidade daquela construção que fui jogado pra dentro de mim, e a resposta que encontrei para tudo aquilo, foi apenas dizer a verdade.

Comecei a escrever a minha parte da música por estrofes, e fui gravando/escrevendo ao mesmo tempo. Os flows, rimas e melodias surgiram de uma maneira tão natural e fluida que a música não demorou muito pra sair. Na sessão seguinte, Quando mostrei pro Paiva, lembro que ele ficou tão empolgado que rapidamente fez a parte dele também, talvez tão rápido quanto eu fiz a minha, ou mais.  O importante é que conseguimos criar uma história verdadeira, algo que se passa nas nossas vidas e é uma alegria grande poder dividir essa obra com todos que acompanham nosso trabalho.

Caio Paiva: Eu acredito que Maré nasceu pra explicar pra nós mesmos o sentido das nossas relações. Falar de sonhos,  momentos bons e ruins, imaginar o futuro do lado de alguém.. Coisas da nossa cabeça que são comuns pra todo mundo.

 

Como foi a experiência de gravar o videoclipe de Maré?

 

João Catan: O processo de gravação do clipe de Maré pra mim foi como uma prova de que estamos no caminho certo. A produção contou com muitas pessoas, que acreditaram na proposta e fizeram o melhor pra tudo dar certo. Em algumas horas no set de filmagens eu olhava ao redor e via aproximadamente umas 20 pessoas trabalhando firmes para tudo dar certo, e tenho certeza que essa energia positiva transpareceu no clipe. Nossas famílias também nos ajudaram muito nessa produção participando de fato da equipe, além de amigos e profissionais brilhantes que nos acompanharam nessa Maré. O processo de gravação do clipe foi tão verdadeiro quanto a música.

Caio Paiva: A experiência de gravar Maré foi foda! 3 dias de gravação, com muita gente envolvida pra chegar em um resultado sinistro! Foi a primeira vez que o Luz Apache se viu diante de uma produção tão grande. Dá muita satisfação ver esse trampo sair. Espero que todo mundo curta.

O grupo passou por algumas mudanças recentemente. O que podemos esperar daqui pra frente?

 

João Catan: Podem esperar cada vez mais. Estamos focados e muito empenhados em produzir material de alta qualidade, o Luz Apache veio pra marcar a história.

Caio Paiva: Daqui pra frente podem esperar clipes de muita qualidade, de músicas muito verdadeiras. Esse o principal objetivo do Luz Apache!

 

O VideoClipe já está disponível em todas as plataformas digitais

 

Confira no youtube:

Leave a Reply

Your email address will not be published.