História

O nascimento da cultura Sneaker ocorreu por volta do fim da década de 80. Os responsáveis por de trás de tudo isso foram o basquete e a cultura Hip Hop. Junto com isso, ocorre grande “boom” de tênis nos EUA especialmente projetados para a prática do basquete logo após a entrada do astro Michael Jordan na NBA, proporcionando uma variedade infinita de modelos. Desde sempre, já existia uma faísca para a subcultura do Sneaker. Por trás disso, o movimento Hip Hop já designava símbolos de status e valor aos sneakers nas ruas, muito antes deles se tornarem ganharem os holofotes.

O que significa Sneaker?

Sneaker é uma palavra de origem inglesa que significa nada mais e nada menos que “tênis”. O criador desta palavra foi o americano Henry Nelson McKinney, um publicitário da N.W. Ayer and Son Agency.

O verbo sneak que significa “escapar, esquivar-se, entregar, dedurar, roubar, carregar”. Graças às solas feitas de borracha dos tênis as pessoas podiam andar, esquivar e escapar sem fazer barulho. O tênis deu essa característica ao andar e daí o nome foi associado à função: sneaker.

O primeiro calçado feito com sola de borracha chamado de “plimsoll” foi feito no final do século XIX nos Estados Unidos. Charles Goodyear (dono da Goodyear Metallic Rubber Shoe Company) descobriu e patenteou o processo de vulcanização, que consiste em adicionar calor à borracha e fazê-la derreter se unindo com tecidos ou outros pedaços de borracha. O resultado faz com que as partes se grudem de uma maneira uniforme e muito forte.

 

Sneakerhead

É o termo designativo aos adeptos da cultura urbana Sneaker. São pessoas, em sua maioria jovens que tem admiração e gosto por tênis. Uma vez que existem tênis de pouca tiragem, por exemplo as collabs com marcas famosas (Supreme, Bape, Timberland…), ou podemos dizer modelos que tem pouco tiragem.

Rapidamente saiu da America e alcançou a Europa já na década de 80. Logo em seguida Ásia e todo resto do mundo. Tem-se conhecimento de que os primeiros sneakerheads do Brasil começaram em meados da década de 90, tendo em vista um grande crescimento no país nesses últimos anos.

 

Os tênis usados por sneakerheads foram primariamente criados para atender às necessidades de atletas de esportes específicos, como tênis de basquete, mas que acabaram sendo incorporados no vestuário do cotidiano, principalmente nos rappers da época, dando já destaque a cultura em capas de discos e revistas.

Boa parte dos sneakerheads começa comprando tênis populares ou simplesmente adquirindo algum par que lhe aparentou momentaneamente interessante. Alguns, nostalgicamente, entram no mundo Sneaker por ver algum modelo que desejaram enquanto eram crianças. Com o crescimento do interesse pelo assunto, passam a ter um dispendioso hobby para manter. Alguns querem ter amostras de todos os tipos de tênis, enquanto outros são colecionadores/admiradores de apenas algum tipo específico.

Os tênis mais caros não são geralmente os melhores ou os das marcas mais elitizadas, antes são aqueles que agregam maior valor de exclusividade. Tais tênis normalmente são concebidos sob uma temática específica, ou são produzidos em edições limitadíssimas. Algumas grandes marcas, como Nike e Adidas, desde a década de 80 deram início a lançamentos de produtos exclusivos ou em edições limitadas, possibilitando aos consumidores a chance de possuírem calçados raros.

Uma forma de praticar a cultura Sneaker tendo-se pouco recurso financeiro é a customização ou personalização dos tênis através de pinturas, laços em cadarços, etc. Isso pode tornar os calçados únicos e com uma história própria.

Alguns dos sneakerheads têm coleções imensas de tênis. Muitos deles conseguidos através de amigos que moram em outros países e, até mesmo, continentes. Existem lojas especializadas que comercializam as edições de lançamento das marcas famosas. Entre elas estão Adidas e Nike como as preferidas e mais requisitadas entre os colecionadores. Destacam-se os pares de tênis confeccionados com materiais exóticos ou caros.

SNEAKER X HIP HOP

O Hip hop e a cultura sneakers sempre caminharam lado a lado, mostrando uma forte evolução e criando tendências ao longo desses anos. Algumas capas ficaram mais famosas, tendo o sneaker teve seu papel importante.

LL Cool J — Air Jordan I

Album/Single: Radio (1985)

Beastie Boys — Nike Air Force I, Puma Clyde

Album/Single: Solid Gold Hits (1986)

Heavy D & The Boyz — Air Jordan II

Album/Single: Chunky But Funky (1987)

Boogie Down Productions — Nike Air Max I

Album/Single: By All Means Necessary (1988)

 

Eazy-E — Air Jordan III “Cement”

Album/Single: Eazy-Duz-It (1989)

Queen Latifah — Nike Huarache LE “Purple Punch”

Album/Single: Latifah’s Had It Up 2 Here (1991)

Gang Starr — Ewing 33 Hi

Album/Single: Step In The Arena (1991)

Kriss Kross — Air Jordan XI “Concord”

Album/Single: Tonite’s Tha Night (1995)

Mac Dre — Nike Air Max 95

Album/Single: Rapper Gone Bad

No final dos anos 90 as grandes marcas começaram a entrar pra valer no mercado do Hip Hop. Antes disso, vale lembrar que o primeiro contrato de uma marca de tênis com um artista do Hip Hop foi o Run DMC.

“My Adidas”

Nesta época, a Adidas era pouco conhecida nos EUA por ser uma empresa alemã. A Adidas sempre foi muito forte na Europa e por causa do estilo da borracha na parte frontal do par, o Adidas Superstar (foto à esquerda) ficou conhecido como “Shell Toes” (Dedões de Concha) ou “Shell Shoes” (Tênis de Concha).

Os integrantes do grupo de hip hop Run DMC (composto por Jason “Jam-Master Jay” Mizell, Joseph “DJ Run” Simmons e Darryl “D.M.C.” McDaniels) gostavam tanto do Adidas “Shell Toes” que o adotaram como estilo. Eles usavam os Superstars sem cadarços, o que gerou certa polêmica pois tênis sem cadarços eram comum nas prisões americanas da época. Assim muitos também passaram a chamar o tênis de “Felon Shoes” (Tenis de Gangsta).

Run DMC escreveu a música “My Adidas”, cujo sucesso foi estrondoso. Após isso, a maioria das pessoas envolvidas com o hip hop adquiriu um par de Superstars. Eles não sabiam que mais tarde, devido a essa atitude, uma cultura e um mercado totalmente novo seria criado.

O empresário do Run DMC, Lyor Cohen, juntamente com Joseph “DJ Run” Simmons, perceberam que podiam fazer dinheiro com o fenômeno. Eles convidaram os executivos da Adidas para um show do Run DMC em Nova York. Quando eles chegaram, viram milhares de adolescentes usando os Superstars e a melhor parte foi quando Run, antes de começar a cantar “My Adidas”, pegou o seu Superstar, o levantou ao ar com a mão e disse: “Quem está usando Adidas, deixe eu ver!”. Uma multidão de pessoas levantou seus Adidas em reverência ao grupo e ao tênis.

No final das contas o Run DMC fechou um contrato de US$ 1 milhão com a Adidas e a partir daí as marcas esportivas começaram a abrir os olhos para outros grupos e não somente para o mercado esportivo de performance. Era o definitivo nascimento da cultura Sneaker.

“ Troop Sport”

Troop Sport foi uma marca urbana dos anos 80. Foram usados ​​pelos de LL Cool J, e 3rd Bass. Eles estavam indo bem até que um rumor feio começou a surgir. Dizia-se que o Ku Klux Klan era dono da empresa e que “Troop” era na verdade um acrônimo para “To Rule Over Oppressed People”. Também foi dito que se você cortar o revestimento de uma jaqueta, uma mensagem lida; “Obrigado ni ** er para nos fazer ricos”. As reivindicações foram feitas que as mensagens codificadas foram integradas também nos calçados. Para uma empresa jovem, cujo principal mercado era a juventude afro-americana e latina, essas acusações foram particularmente devastadoras. Não parecia importar que os fundadores da empresa não fossem “brancos” – eles eram judeus e coreanos. Com vendas praticamente inexistentes, a empresa acabou por falir. É claro que os rumores não eram verdadeiros.

Master P x Converse

Em 1999, o Mestre Master P estava de verdade na cena e nos negócios. Tendo feito a lista de pré-temporada para os Charlotte Hornets, Converse conectou-se com o Mc e empresário para ajudar a tornar seus sonhos uma realidade.

 

Jadakiss x Reebok

Não que a assinatura de Allen Iverson na Reebok era necessária para as prateleiras – ou que Iverson precisava de mais popularidade – mas em 2001 Reebok juntamente com AI e com Jadakissa Reebok realizou uma série de comerciais para o Question (modelo do jogador) V e Question VI que trouxe o relacionamento da Reebok com música a uma nível totalmente novo. Outros tentaram, mas ninguém fez isso melhor do que ‘Kiss.

 

Rakim x Reebok

Antes de Swizz Beatz, antes de Rick Ross, mesmo antes de Jay-Z e 50 Cent, Rakim Allah estava com o Vetor. O anúncio proclamou-lhe um “clássico lírico”, e as palavras mais verdadeiras nunca foram impressas.

Jay Z x Reebok

Em um momento em que Hova tinha todos vestindo camisas de vestido de botão e tênis, Reebok estrategicamente aproveitou o Shawn Carter, a fim de promover alguns tênis. Sob a sua marca Rbk, Jay-Z tornou-se o primeiro não-atleta a obter um sapato de assinatura da Reebok, enquanto o S. Carter tornou-se o sapato mais vendido na história da Reebok.

50 Cent x G Unit

 

Havia três coisas que a maioria de nós pensou quando vimos pela primeira vez o vídeo de “Wanksta”. Primeiro, 50 Cent chego roubando a cena, segundo quem é aquela mina com o rabo de pelúcia? Terceiro, onde podemos descolar aqueles panos da G-Unit!? Alguns anos mais tarde, 50 Cent & G-Unit Clothing Company provou ser tão viável, que a  Reebok deu-lhe uma assinatura de seu próprio Reebok.

 

Pharrel x Ice Cream

No ano de 2005, Pharrell se uniu ao fundador da BAPE, Nigo, para criar as duas marcas de streetwear,  Billionaire Boys Club e Ice Cream. Devido a muitos contratempos formados por disputas entre Reebok e Pharrell relacionadas com a linha de sneakers Ice Cream, a marca nunca bastante viveu até seu potencial star-powered.

 

Wu Tang Clan

Enquanto todos tinham olhos para o Nike Dunk “Wu-Tang”, a sua colaboração com a FILA foi que realmente encheu os bolsos dos membros do grupo da Ilha do Shaolin. Com preços moderados em 120 dólares, Wu-Tang’s CREAM já era clássico antes do lançamento. Podem ou não ter sido uma exploração melhor em moda do que sua linha de vestuário a famosa marca vintage do Wu Tang – Wu Wear.

Dicionário SneakerHead

OG – Original or Original Release (Modelo de época original de seu lançamento. Pode ser usado também em versões Retro com a mesma combinação de cor que o original)

Vintage – Produto original de época, usado ou não. (Atualmente pode ser usado também para designar novos modelos que são feitos com “efeitos envelhecido” para parecer velho propositalmente)

Retro – Relançamento igual ao original de época, porém com materiais novos (em termos de qualidade principalmente)

Quickstrike: Edição limitada da Nike. Rumores de que sejam produzidos entre 1000-1500 pares.

Hyperstrike: Edição limitada da Nike. RUmores de que sejam produzidos até 600 pares.

TIER 0: O canal de lojas mais elevado da Nike. Lojas especializadas e com respaldo do consumidor de alto valor agregado. Um produto TIER 0 vai somente para este tipo de loja. Edição limitada.

NRG: Produto feito com o intuito de gerar energia (NRG) entre os consumidores, por gerar energia entende-se filas, releases, boca-a-boca, e esses tipos de reflexos marketeiros

CW ou Colorway –  Combinação de cores. São as combinações de cores de cada modelo

Hypebeast – Pessoa que só compra sneakers raros mesmo não gostando

Reseller – Pessoa que compra para revender

Beaters – Aquele tenis que você usa até destruir, “tenis pra bater”

Heat – Sneakers que ganham fama pela sua história, cor, materiais ou grande desejo dos consumidores

Collector – Colecionador

“One to Rock, one to stock” – Literalmente “Um para usar outro para guardar”

Estados de conservação

DS – Deadstock (Literalmente “Estoque morto” produto que saiu de linha e ficou esquecido nos estoques antigos das lojas. Atualmente é usado para designar um produto novo, sem uso.)

VNDS – Very Near Deadstock (Produto com pouco uso, com raras marcas de uso)

NDS – Near Deadstock (Produto com mais uso que o acima, normalmente já apresenta marcas de uso tanto na sola quanto no toebox)

NIB – New in Box (Novo na caixa) – o mesmo que Deadstock

NWT – New with tags (Produto novo com etiquetas)

NWOT – New without tags (Produto novo sem etiquetas)

Para comprar em eBay e foruns gringos:

BIN – Buy it now (compre agora)

OBO – Or Best Offer (ou a melhor oferta)

Principais partes e divisões na construção de um tenis:

Upper – Cabedal (a parte de couro e tecido que cobre o pé)

Midsole – Entressola (parte medial entre o cabedal e o solado, normalmente de EVA ou Poliuretano)

Outsole – Solado (parte de borracha que entra em contato com o solo)

Tongue – Lingueta

Vamp ou Toebox – Gáspea, zona que cobre os dedos do pé

Quarter – Taloneira, zona do calcanhar

Lining – Forro interno do tenis

Eyelets – Ilhóses (aros de ferro por onde passam os cadarços)

Laces – Cadarços

Insole ou Sockliner – Palmilha interna

High – Cano Alto

Mid – Cano médio

Low – Cano baixo

Processos de producão de um tenis esportivo:

Vulcanized ou Autoclave: Vulcanizado (processo em que se funde a borracha do solado com o tecido/couro do cabedal por meio do aumento da temperatura e pressão dentro do forno Autoclave. EX: Converse All Star

Cimented ou Cupsole: Cimentado em Solado “Caixa” (processo em que o solado é colado por meio de um “cimento” ao cabedal. Este solado possui paredes laterais que ajudam no processo de colagem

 

Tipos de materiais mais comuns usados em sneakers:

Leather – Couro

Nobuck – Couro lixado (possui uma aparência e toque aveludado, é um couro muito nobre pois se usa a parte da exoderme do couro (flor do couro)

Suede – Camurça ou Raspa (possui uma aparência e toque atoalhado, é o couro menos nobre que tem pois se usa a parte da mesoderme do couro (carnal)

Mesh – Tipo de tecido em construção de malharia

Canvas – Tipo de tecido em construção de tecido plano

Patent Leather – Couro com camada envernizada que dá um efeito brilhoso. Pode ser couro natural ou sintético

 

Principais siglas de Sneakers Famosos:

AF1 – Nike Air Force 1

BRED – Black/Red (CW mais famosa dos Air Jordans, preto e vermelho)

AMXX – Air Max (XX são os anos ou edições: 1, BW, 90, 95, 97, etc)

J’s – Air Jordans

NB – New Balances

Y’s – Air Yeezy

RB – Reeboks

Pumps – Reebok Pumps

GL3 – Asics Gel Lyte 3

SB – Skate Boarding (normalmente esta sigla é usada pela Nike

PE – Player Exclusive (Produtos feitos especialmente para jogadores, principalmente se tratando de CWs exclusivas)

COJP – Concept Japan (Produto feito para o mercado Japonês)

Indicaçoes:

https://www.snkcult.com.br/

https://sneakersbr.co/

Referencias:

https://hypebeast.com/

http://www.complex.com/

https://blackexcellencebrasil.wordpress.com/

 

Matéria escrita pelo apreciador de sneaker: Éder.
Contato do mesmo: https://www.facebook.com/Edaum3pilares
Instagram: @edaumm

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.